O Dia Mundial da Luta contra a AIDS é comemorado anualmente em 1 de Dezembro. A data tem o objetivo de conscientizar a população sobre uma das doenças que mais mata no mundo: a AIDS. Não apenas informar as pessoas sobre os sintomas, perigos e formas de se prevenir da doença, o Dia Mundial de Luta contra a AIDS também tem a função de auxiliar no combate contra o preconceito que os portadores de HIV sofrem na sociedade por causa da doença.

Origem do Dia Mundial da Luta contra a AIDS

O Dia Mundial de Luta contra a AIDS foi criado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), com o apoio da Organização das Nações Unidas (ONU), em uma Assembleia realizada em outubro de 1987.

O governo brasileiro, através do Ministério da Saúde, começou a promover campanhas de apoio ao Dia Internacional de Luta contra a AIDS desde 1988

A doença

A sigla AIDS vem do inglês Acquired immunodefiecience syndrome, que em português significa Síndrome da Imunodeficiência Adquirida. O vírus da AIDS ataca as células CD4 do organismo, os (linfócitos T) que são extremamente importantes para proteger e combater doenças no corpo humano.

Com a destruição das defesas do organismo, o corpo fica debilitado e propício a ser atacado por inúmeras doenças, como pneumonias, infecções, herpes e até mesmo alguns tipos de câncer.

Transmissão

A AIDS pode ser transmitida através do contato de fluídos corporais do infectado com o sangue de uma pessoa saudável, por meio de relações sexuais sem preservativo, transfusões de sangue ou compartilhamento de seringas e agulhas.

Atenção: Beijos, saliva, suor, abraços, contatos com a pele de pessoa portadora do HIV, picadas de insetos, coisas cotidianas do dia a dia não transmite a doença.

O vírus HIV, ao entrar no organismo do indivíduo, irá enfraquecer o seu sistema imune e causar sintomas como febre, mal-estar geral, tosse seca e dor de garganta que, geralmente, só se manifestam 3 a 6 semanas após a infecção e que podem ser confundidos com uma gripe ou resfriado. Desta forma, se o indivíduo teve algum comportamento de risco, como contato íntimo sem preservativo, ou usou seringas de um indivíduo infectado, deve realizar um teste de HIV após 40 a 60 dias para confirmar se tem ou não AIDS.

Tratamento

A doença não tem cura, mas pode ser tratada com coquetéis antiaids, quando diagnosticada a tempo, melhorando a qualidade de vida do infectado.

O tratamento da AIDS é feito com medicamentos antirretrovirais que são fornecidos gratuitamente pelo SUS. Estes medicamentos combatem o vírus e fortalecem o sistema imune, mas não curam a doença porque a cura da AIDS ainda não foi descoberta.

Apesar disso, é importante seguir o tratamento da AIDS para diminuir a carga viral, aumentando o tempo de vida, e também para diminuir o risco de desenvolver as doenças relacionadas a AIDS como a Tuberculose e a Pneumonia, por exemplo.

Prevenção

É possível prevenir a AIDS através da adoção de alguns cuidados, como:

– Utilizar preservativo em todas as relações íntimas, mesmo nas orais;

– Utilizar luvas e somente material esterilizado se tiver que tocar em sangue ou outras secreções;

– Não compartilhar seringas;

– Em caso de mãe HIV positiva, não amamentar o bebê.

É muito importante ter estes cuidados sempre, mesmo no caso de indivíduos já portadores do vírus HIV, para evitar uma recontaminação, que dificulta ainda mais o tratamento.