O cálculo renal, também conhecido como: “pedra nos rins” é um dos problemas urológicos mais doloridos e, infelizmente, também um dos mais comuns em todo o mundo.

Existem cinco tipos principais de pedra de rins: pedra de cálcio, pedras relacionadas a infecções, pedra de ácido úrico, pedra de cistina e outras pedras mais raras, como a xanteno.

Como ocorre?

A formação do cálculo renal ocorre quando certos produtos químicos da urina juntam-se formando cristais. A maioria das pedras começa a se formar nos rins e algumas podem se deslocar para outras partes da extensão urinária, incluindo o ureter ou a bexiga. Elas variam de tamanho, sendo que as pedras maiores podem bloquear o fluxo da urina ou causar irritação na parede interior do trato urinário.

Tendo sofrido ao menos uma vez de cálculo renal, a pessoa sempre estará suscetível ao surgimento de novas pedras nos rins. A ingestão de aproximadamente dois ou três litros de água por dia pode ajudar a impedir que novos cálculos renais se formem.

Sintomas

A dor do cálculo renal é muito forte, como uma cólica ou aperto, sendo aguda, surgindo subitamente e se apresentando de forma cíclica. É uma dor lombar alta, unilateral, podendo irradiar para flanco (região lateral do abdome), pela pelve e testículos. Alguns sintomas podem estar associados à cólica renal. O principal deles é o vômito seguido de sangue na urina, febre e dor ao urinar.

Fatores de risco:

– Histórico familiar;

– Homens entre 30 e 50 anos;

– Reduzido consumo de água;

– Habitante de clima quente.

Como evitar?

  1. Beba muita água: beber água dilui as substâncias na urina que eliminam as pedras. É importante beber bastante líquido para produzir uma média de dois litros de urina por dia. Bebidas cítricas como limonada e suco de laranja também são agentes que bloqueiam a formação das pedras, graças ao citrato.
  1. Obtenha o cálcio que você precisa: pouco cálcio na dieta pode causar níveis de oxalato que aumentam o risco de pedra nos rins. Para evitar isso, é indicado ingerir uma quantidade de cálcio adequada a sua idade. O ideal é obter cálcio dos alimentos, já que alguns estudos têm relacionado o consumo de suplementos alimentares ao surgimento de pedras nos rins. Homens a partir de 50 anos devem consumir 1g de cálcio por dia, juntamente com boas quantidades de vitamina D, que ajudam o corpo a absorver o cálcio.
  1. Reduza o sódio: uma dieta rica em cálcio pode provocar pedras nos rins porque aumenta a quantidade de cálcio na urina. Assim, uma dieta com baixo teor de sódio é recomendada. As diretrizes atuais sugerem limitar a ingestão de sódio a 2,3g por dia.
  1. Não exagere nas proteínas: Comer muita proteína animal, como carne vermelha, aves, ovos e frutos do mar aumenta o nível de ácido úrico e pode gerar pedras nos rins. Uma dieta rica em proteína também reduz os níveis de citrato, substância química na urina que ajuda a prevenir a formação de pedras. Pessoas propensas a ter cálculo devem limitar o consumo diário de carne a uma quantidade que não seja superior ao tamanho de um baralho de cartas.
  1. Evite alimentos causadores de pedras: beterraba, chocolate, espinafre, chá e nozes são ricos em oxalato e fosfato, que podem contribuir para as pedras nos rins. É aconselhável evitar esses alimentos ou consumi-los em quantidades menores.

Lembre-se que a melhor forma de saber da saúde dos seus rins é consultando um médico e realizando exames.